15/09/2023 às 19h38min - Atualizada em 15/09/2023 às 19h38min

Ao pedir socorro para envenenamento, pais citaram refrigerante dado por vizinho

Polícia Civil está investigando o caso e foi ao HGE para ouvir familiares

Paulo Victor Malta e Gabriel Amorim* |
https://www.tnh1.com.br
Ascom PC-AL

A Polícia Civil de Alagoas já está investigando o caso de cinco menores de idade, residentes da cidade de Pilar, região Metropolitana de Maceió, que foram socorridas com suspeita de envenenamento na noite dessa quinta-feira, 15. Equipes do 23º Distrito Policial estão em diligências e foram até o Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, onde os jovens estão internados. O TNH1 obteve detalhes sobre o momento em que os pais pediram por socorro. 

Segundo as informações apuradas pela reportagem, a ambulância municipal foi acionada às 20h34 para atender aos cinco jovens vítimas de intoxicação, que apresentavam sonolência, dilatação da pupila e pele fria. Os pais teriam relatado que um vizinho supostamente teria oferecido refrigerante aos cinco, que começaram a sentir tontura, dormência na boca e sonolência.

"Os pais disseram que as crianças eram vizinhos na comunidade e estavam brincando na rua, no momento em que chegou um rapaz, maior de idade, oferecendo uma lata de refrigerante. Seria esse o suposto motivo do envenenamento. Os menores relataram que, assim que tomaram, sentiram a boca adormecer. Inclusive, o pai de um deles chegou a mostrar o refrigerante à polícia”, relatou ao TNH1 o socorrista José Neuriedson, 49 anos.

Neuriedson detalhou o estado em que as vítimas foram encontradas quando a ambulância chegou. “Fizemos o socorro. Três estavam debilitados e outros dois bem graves. Os menores estavam desorientados e apresentavam náuseas, vômitos e palidez. Eles não se aguentavam em pé. Estavam totalmente desconexas. Nós fazíamos perguntas e eles davam respostas desligadas", contou ao TNH1

Os três adolescentes e as duas crianças foram levadas ao hospital da cidade, avaliados e encaminhados ao HGE. 

Polícia começa a investigar - A delegada Maria Angelita é quem está à frente da apuração e já enviou ao hospital agentes para conversar com os familiares e as vítimas. Segundo o HGE, duas crianças de 8 e 10 anos, além de três adolescentes de 12 e 13 anos deram entrada no hospital por 'intoxicação exógena', ou seja, contato com substâncias químicas que prejudicam o organismo. Eles foram submetidos a exames e medicações. Um dos menores já recebeu alta médica, enquanto os outros quatro seguem em observação na emergência.

Em entrevista à TV Pajuçara, a delegada do Pilar, Maria Angelita, ressaltou que nenhuma hipótese vai ser descartada pela polícia. "A gente vai buscar saber o que realmente aconteceu, se houve envenenamento e se foi intencional ou acidental. Todas as possibilidades serão consideradas no curso das investigações", disse ela, destacando que equipes já foram encaminhadas ao local para levantar mais informações.

Veja o boletim médico abaixo:

"O Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, admitiu cinco menores, nesta quinta-feira (14), por intoxicação exógena procedentes de Pilar. W. I. S. C., de 8 anos, C. E. C. S., de 10, M. L.  A. S., 12 anos e L. W. S., 13 anos, estão em atendimento e o quadro de saúde é estável. D. H. F., de 13 anos, recebeu alta médica. Todos receberam o atendimento da equipe multidisciplinar da Emergência, foram submetidos a exames e medicações".

As primeiras informações apontam que o caso teria sido registrado no Conjunto Imburi II, um residencial popular de Pilar, e que os menores não têm parentesco entre si, mas moram próximas umas das outras. A Polícia Civil segue apurando o verdadeiro motivo da intoxicação.

*Estagiário sob supervisão. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://publicanews.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp