12/06/2023 às 22h08min - Atualizada em 12/06/2023 às 22h08min

Funcionário da prefeitura de Atalaia denuncia que foi espancado por tentente da PM durante abordagem

Metodologia estranha de abordagem

Redação TNH1
https://www.tnh1.com.br
Reprodução/Vídeo

Um funcionário da Prefeitura de Atalaia denunciou à reportagem do TNH1 que foi espancado durante uma abordagem policial naquele município. José Canuto da Gama Neto contou que a agressão ocorreu nesse domingo, 11, depois de ser parado por um tenente da PM. Ele alega que questionou a abordagem porque estava participando de um curso da Prefeitura. Mas o tenente teria alegado que foi desacatado. 

"Estava acontecendo um curso de máquinas pesadas, atrás do Cisp. Eu estava chegando de moto, parei para falar com meus colegas e, do nada, apareceu um policial me abordando, esse tenente Charlandison, me abordou, pediu pra eu colocar a mão na cabeça e me levou para a frente do Cisp. Chegando lá, fez uma revista pessoal e ele disse que eu desobedeci a ordem de parada dele, mas eu não vi a ordem de parada. Questionei se era pessoal contra mim e se fosse necessário poderíamos resolver de outra forma. Ele me levou para o Cisp e me agrediu com vários chutes, socos e tapas. Ele me torturou, puxou a arma, colocou a arma na minha cabeça e falou que se eu não fosse embora da cidade ele iria me matar. E depois de muito tempo foi elaborado um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) como se eu tivesse ameaçado ele", relata Canuto.

Em um vídeo, ele mostra as marcas por todo o corpo e conta que seu aparelho de telefone celular foi destruído. Quando deixou o Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp), ele procurou uma unidade de saúde do município e seguiu para o Instituto Médico Legal (IML) de Maceió, onde foi submetido a um exame de corpo de delito. O TNH1 preferiu não divulgar o vídeo para garantir a integridade da vítima.

Nesta segunda-feira, 12, o rapaz voltou a Maceió onde formalizou a denúncia na Corregedoria da Polícia Militar e depois deve registrar o fato junto à Polícia Civil. Um amigo de José Canuto conversou com o TNH1 e confirmou que, apesar das ameaças que sofreu, vai seguir com a denúncia. 

Em contato com o TNH1, a assessoria de comunicação da Prefeitura de Atalaia informou que não tem informações sobre o ocorrido, já que não aconteceu no ambiente de trabalho. 

Por meio de nota, a Polícia Militar afirmou que "repudia possíveis excessos praticados por seus agentes durante o serviço policial". Leia abaixo na íntegra:

A Polícia Militar de Alagoas, através do comando da Corporação, não compactua e repudia possíveis excessos praticados por seus agentes durante o serviço policial. Além disso, a Instituição esclarece que, após Corregedoria-Geral formalizar os relatos, será feita a investigação dos fatos citados através da abertura de procedimento administrativo.

B.O.

No Boletim de Ocorrência registrado pelo militar, ele relata que José Canuto não obedeceu a voz de parada e reagiu de forma violenta e alterada à abordagem. Registrou também que o funcionário público tentou se desvencilhar da abordagem e falou que quando encontrasse o policial sem farda, iria resolver em qualquer lugar.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://publicanews.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp