08/04/2024 às 14h32min - Atualizada em 08/04/2024 às 14h32min

'COMECEM OS JOGOS': Vice-prefeita de Atalaia acusa JHC de “artimanha sorrateira e machista”

Indignação expressa

Redação
Por: Agência de Notícias
Reprodução / Montagem publicanews.com.br
Num vídeo contundente compartilhado nas redes sociais, a vice-prefeita de Atalaia, Camyla Brasil, não titubeia ao expor o prefeito de Maceió, João Henrique Caldas, o JHC (PL), por ter aplicado uma manobra ardilosa ao retirá-la do partido "nos 45 minutos do segundo tempo".

Camyla, anteriormente filiada ao PL sob a presidência de JHC em Alagoas, havia sido prometida como candidata a prefeita pelo partido em Atalaia. Ela revela que aderiu ao PL com a promessa de liderar o PL Mulher no município.

Na sexta-feira, dia 5, a vice-prefeita participou de um "encontro exclusivo para lideranças convidadas" no Ritz Hotel Lagoa da Anta, em Maceió, na presença da ex-primeira-dama e presidente do PL Mulher nacional, Michelle Bolsonaro, e da presidente do PL Mulher Alagoas, Eudócia Caldas, mãe do prefeito JHC. No sábado, dia 6, Camyla esteve na reunião do PL Mulher, em Maceió, coincidindo com o encerramento do prazo das filiações partidárias. Pouco depois, ela recebeu a comunicação pela assessoria do prefeito JHC de que seria expulsa do partido, "fui expulsa do partido, por motivos escusos, a pedido de um vereador de Maceió".
Diante disso, a vice-prefeita procurou JHC para exigir explicações: "o prefeito disse que minha presença no partido estava causando grandes problemas para ele e que ele nada poderia fazer. Essa é a nova política, a política da perseguição? Por isso que nós, mulheres, somos minoria, por isso que muitas de nós desistem, mas não é essa artimanha que vai me parar", protestou Camyla.

Em seu perfil no Instagram, Camyla escreveu: "Infelizmente venho através das minhas redes sociais anunciar para todos vocês que não estarei representando o PL Mulher no município de Atalaia, assim como eu e as presidentes Estadual @eudociasenadora e Nacional @michellebolsonaro havíamos anunciado na sexta-feira", disse.

"Fui vítima de uma sorrateira artimanha política machista que infelizmente atinge muitas mulheres, por isso somos minoria de representação, apesar de sermos maioria de eleitoras. Apesar de tudo, sigo de cabeça erguida, pois sei da história sólida que venho construindo ao longo dos anos junto ao meu povo atalaiense."

Indignação expressa

Eliane, mãe de Camyla, expressou sua indignação nos comentários da postagem no Instagram de sua filha.
"E eu, como fico com essa notícia? POXA, HOJE É MEU ANIVERSÁRIO!!! Como assim??? GENTE, ATÉ EU ESTOU FILIADA NO PL, a pedido de minha filha @camyla_brasil e por admiração ao PREFEITO DE @JHC e à sua mãe @eudociasenadora. Como assim? Que política é essa? Que absurdo. Isso não se faz, isso é uma humilhação com minha filha. Nunca falei, mas meu marido é primo de segundo grau da mãe do Prefeito @JHC. Nada disso na polícia resolve? Mais uma vez, uma humilhação tão grande com @camyla_brasil. Onde a gente sempre procura fazer o bem, sem pedir nada em troca. Esse é o nosso lema. Entenderam, @eudociasenadora? Depois explico tudo a vocês, meu povo".

O marido de Eliane, pai de Camyla, é delegado de Polícia e teria ajudado a família Caldas no episódio em que o dr. JHC, irmão do prefeito de Maceió, foi acusado de violência doméstica.

Por: Redação Agência de Notícias
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://publicanews.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp