18/03/2024 às 10h12min - Atualizada em 18/03/2024 às 10h12min

Polícia Civil prende foragido por latrocínio e estupro coletivo de adolescente de 15 anos

Zona rural de Junqueiro - Al

TNH1 com Assessoria
https://www.tnh1.com.br
Assessoria

A Polícia Civil de Alagoas prendeu um homem de 37 anos que estava foragido da Justiça pelos crimes de latrocínio (roubo seguido de morte) e estupro coletivo de uma adolescente de 15 anos. O caso aconteceu em São Sebastião, Agreste do estado. A prisão foi feita no Povoado Benedito, zona rural de Junqueiro, na última sexta-feira, 15. A ação foi coordenada pelo delegado Sidney Tenório. 

Os policiais civis cumpriram o mandado de prisão preventiva, emitido pela 16ª Vara Criminal da Capital. O delegado Sidney Tenório informou que a ordem de prisão, datada de 2021, chegou ao conhecimento da equipe há cerca de 60 dias. O acusado estaria morando com a mãe no bairro Retiro, porém, no momento da prisão, trabalhava no Povoado Benedito, em uma empresa terceirizada que presta serviços à prefeitura local. 

Em 2011, o homem foi condenado a pena de 30 anos de prisão. Durante a abordagem, ele se disse surpreso e preferiu permanecer em silêncio, sendo conduzido para sede da Delegacia Regional de São Miguel dos Campos, onde no sábado, 16, foi submetido à audiência de custódia e agora retornará ao sistema prisional de Alagoas. 

O caso

Segundo a denúncia do Ministério Público, registrada no dia 1º de março do ano de 2005, o preso, na época com 18 anos, estava na companhia de outras quatro pessoas bebendo em bares no Rancho Alegre, zona rural do município de São Sebastião. Eles sabiam que a vítima, a adolescente de 15 anos, teria furtado de parentes a quantia de R$ 2 mil e que, ela estaria com o montante em dinheiro. Ela foi convencida a entrar no veículo que eles estavam, sendo conduzida para um canavial ali próximo.

Naquele lugar, a adolescente, identificada como Rita Maria da Silva, foi estuprada por três dos cinco envolvidos, dentre eles, o detido na sexta, que, depois de praticar a violência sexual, participou das agressões físicas, com socos e pontapés, contra a vítima. Ela ainda foi estrangulada com um fio que foi amarrado ao pescoço. O corpo foi abandonado no mesmo canavial, o dinheiro foi roubado e dividido entre todos os envolvidos. 

Três dos cinco envolvidos foram condenados em 2011 a pena de 30 anos de prisão, já os dois envolvidos que não participaram do estupro coletivo foram condenados a pena de 20 anos. 

O agora capturado, junto aos demais, chegou a ser preso no curso do Inquérito Policial em 2005, permanecendo apenas quatro meses na custódia, voltando a ser localizado e preso, dois anos depois da sua condenação judicial, tempo em que permaneceu encarcerado de 2013 até o ano de 2018, sendo naquele ano, posto novamente em liberdade, não mais sendo visto, ou seja, saindo do radar da Justiça, que em 2021, voltou a decretar a sua prisão. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://publicanews.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp